quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Os dinossauros do CREA.

Como pode, em uma instituição, ter tanta gente antiga e não ter nenhuma renovação? É assim no CREA RJ. Lá não há oxigenação de mentes, oxigenação de ideias, de pessoas, somente mais do mesmo. Impressionante como as pessoas ficam viciadas no sistema. Em países desenvolvidos a sociedade participa da vida pública, dos sindicatos dos conselhos, para agregar valor, e com tempo de validade. Não fazem disso uma carreira, e sim de trazer melhorias, novos conceitos. É por isso que existe o mandato (de 3 anos, de 4 anos).

Como uma instituição pode crescer, ser de vanguarda, se não há renovação? Não é de agora que os engenheiros estão revoltados com o sistema atual que só cobra taxas e se vê pouco resultado. E cmo podemos mudar esta situação? Não podemos aceitar simlesmente, não interagir, isso é a pior escolha. Interagir que eu falo é um simples email, um telefone, votando em épocas de eleição (principalmente), entre outras formas. O que sabemos de fato é que a situação precisa mudar para a engenharia crescer.

domingo, 14 de agosto de 2011

Incubadora de empresas: Uma boa idéia.

http://www.planeta.coppe.ufrj.br/artigo.php?artigo=1332
Para os marinheiros de primeira viagem e não conhecem alguns benefícios de uma boa universidade, a incubadora de empresas é um projeto que apoia o surgimento de novas empresas, empresas inovadoras, e faz a inserção dessas empresas no mercado. É um projeto interessante de surgimeno de inovação, e baseado no modelo americano, cujo sucesso é tão grande que por locais como esses já passaram a HP, Unisys e IBM.

A incubadora da COPPE tem 4 vagas em aberto, e para aquele engenheiro ou engenheira invadora e que tenha perfil epreendedor, muito suor para gastar e uma boa idéia, pode-se candidatar à a vaga." A inscrição é gratuita e os candidatos deverão agendar a entrevista para retirar o roteiro para elaboração da pré-proposta, que poderá ser entregue diretamente na Incubadora ou enviada por correio até o dia 15 de agosto. O telefone para agendamento é (21) 3733-1810." - Extraído do site da COPPE.

Boa sorte!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

O CREA já entrou no século XXI?

Aqui vão algumas questões que mostram que o CREA RJ não entrou no século XXI:

- Filas enormes para tirar a carteira provisória e definitiva do CREA.
- O Progredir, departamento que oferece cursos aos público, não funciona nem na capital nem em outro município.
- Os computadores do CREA (apesar do grande orçamento) são de 1900 e antigamente e o windows ainda é o XP.
- A ART virtua não tem 1 mês de existência.
- O site é atualizado de vez em quando.
- O atendimento ao público pela internet é apenas para consultar andamento de protocolo.
- O CREA leva 60 dias para fornecer a carteira definitiva (isso é o que ele diz).

E por aí vai...

domingo, 7 de agosto de 2011

Mais um foguete em Júpiter.

http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,nasa-lanca-sonda-juno-para-jupiter-a-bordo-de-foguete-nao-tripulado,754636,0.htm
Mais uma tentativa será feita pelos EUA de lançar um foguete não tripulado para Júpiter. Aidéia é estudar mais profundamente o planeta, que é extremamente gasoso (composo por Hélio e Hidrogênio), e verificar a existência de água. Vai que um dia é mais barato trazer de lá?

Brincadeiras a parte, o projeto custou cerca de R$ 1 bilhão e teve participação direta da iniciativa privada (pois o plano de reestruuração econômica dos EUA inclui cortes ao orçamento da NASA, sendo assim, muito difícil dela investir em um projeto desse porte apenas comcapital próprio). A Sonda, batizada de Juno, demorará 5 anos para chegar ao planeta. É mais rápido pegar água na Antártida.

sábado, 6 de agosto de 2011

A ineficiência do CREA-RJ.

Por quê, amigos, o CREA-RJ só fiscalizou os bueiros problemáticos (pra quem não sabe os bueiros na cidade do RJ estão explodindo sem critério, causando pânico aos moradores desta humilde cidade) quando o problema foi parar nos jornais e na televisão? O mesmo problema acontece quando falamos da obra de reforma do maracanã, entre outros.


Será que o motivo desta letargia em eficiência é um problema de gestão no conselho? Creio que além deste problema, a gestão atual do CREA só está interessada em fiscalizar os assuntos midiáticos porque este ano ocorrerá a eleição no mesmo. Sendo assim, para dar a impressão ao público de que está trabalhando, o CREA atua em assuntos debatidos pela mídia.

Isso é claro da seguinte forma: Você já soube de alguma vistoria do CREA RJ à obra da linha 4 do metrô? Você já ouviu alguma posição do CREA RJ sobre as sucessivas mudanças no projeto executivo das obras do Maracanã? Você já viu o CREA RJ vistoriar casas ilegais, ocupações ilegais de terrenos na Rocinha?

Quando vamos ter um conselho de engenharia de verdade?

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Tentativas de "enlatar" o ser humano.

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,no-rs-alunos-levam-ate-cobertor-a-escola-de-lata,753980,0.htm
Uma solução atual para reduzir custos com obras, otimizar espaços e reduzir prazos de entrega, é a construção de containers (cabines de material metálico) substituindo a velha alvenaria. Claro que em alguns casos isso é pertinente, acompanhado de um bom sistema de refrigeração, de um bom sistema de isolamento acústico. Mas estão trocando tudo de alvenaria por grandes latas mal acabadas. Exemplos são as UPAs (unidade de pronto atendimento) no Rio de Janeiro e as famosas "escolas de lata" criadas em São Paulo no governo Marta Suplicy (PT).

Um dos papéis do CREA é fiscalizar estas construções e fomentar pesquisas, concursos, e outros para o desenvolvimento de projetos eficiêntes nesta área. Será que isto está acontecendo?

Temos sempre que pensar se os locais que estamos projetando, ou estamos comprando o projeto, será ocupado por pessoas, especialmente se forem crianças, idosos e enfermos, cuja sensibilidade aumenta. O papel do engenheiro é sempre levar soluções que melhorem o bem estar da sociedade, sem esquecer de reduzir custo, reduzir prazo e otimizar espaços. Reduzir qualidade é sinal de insucesso de um projeto e falha do engenheiro.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Carro dos sonhos.

http://www.mercedes-benz.com.br/modeloDetalhe.aspx?categoria=11&conteudo=12343&produto=53
Carro também é coisa de engenheiro, pois além do projeto mecânico existe o gosto pelos carros esportivos, pelo estilo, pelo way of life que eles proporcionam. Mas infelizmente a maioria de nós podemos ter carros de alto luxo (apesar da valorização da classe). Então, ao menos, podemos comentar aqui neste humilde espaço reservado aos engenheiro.

A Mercedez Benz (se é pra brincar, vamos brincar direito) relançou o Classe E Coupé, que tem como principais inovações o programa de estabilidade eletrônica (para dar estabilidade nas curvas, independente da velocidade), o controle de freios (diferente do sistema ABS), a carroceria tipo sanduíche (para melhorar a parte da aerodinâmica), entre outros. É um carro muito confiável e muito confortável, mas o preço é bem salgado.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

O CREA deveria investir no profissional?

http://www.crea-rj.org.br/

Por quê o CREA não investe nos profissional do seu conselho? Se você acha generosidade demais, eu acho que é obrigação, visto que o orçamento do CREA, somente no mês de junho (fonte: Site do CREA), foi de R$ 7.476.663.29. Assim, mesmo as desesa com pessoas e patrimônio, deve sobrar verba, e esta mesma verba deveria ser revertida em subsídios de educação para que os profissionais desatualizados, despreparados e que estejam fora do mercado, tenham sucesso em suas carreiras.

Se você entrar no site do CREA e ver a agenda de cursos, pouco vai encontrar. Isso é simples de se perceber, pois o Progredir (antigo departamento do CREA que era focado em marcar, divulgar e realizar cursos) foi dissolvido sem o menor sentimento de piedade e sem a menor explicação para sociedade. Uma pena com aqueles que cumprem o seu dever de pagar anuidade ao conselho.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Viajar no tempo é possível.

http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/949325-fisico-de-hong-kong-prova-que-viajar-no-tempo-e-impossivel.shtml
O mundo está ficando louco, cada vez mais situação que eram consideradas impossíveis hoje parece que tem fundamento. Um físico de Hong Kong achou, através de modelos matemáticos, que existe velocidade mais rápida do que a velocidade da luz. Logo, fundamentado na teoria da relatividade de Albert Einstein, mostra que se existe se existe algo que viaja mais rápido do que a velocidade da luz, logoé possível ir para o futuro. Agora falta voltar ao passado.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Partícula de Deus.

http://oglobo.globo.com/ciencia/mat/2011/07/25/cientistas-esperam-ter-resposta-sobre-existencia-da-particula-de-deus-ate-fim-de-2012-924970382.asp
O maior e mais assustador acelerador de partículas do mundo, localizado no CERN (centro europeu de investigação nuclear - Suiça), funciona à todo vapor. Após um início conturbado, cientista do mundo inteiro trabalham para tentar descobri a chamada " partícula de Deus" ou Bóson de Higgs. A comprovação desta partícula pode mostrar por que a matéria tem massa. Os cientistas pretendem encontrar a "partícula" até o final de 2012, desvendando mistérios da ciência como surgimento de vida na terra, surgimento das estrelas, galáxias, extraterrestres, entre outros mistérios. Fica aqui minha fé nesta descoberta, pois creio que isso levará a outra discussão: religião ou ciência?

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Milagre com o Iphone.

http://blogs.estadao.com.br/rodrigo-martins/2011/07/18/iphone-de-paraquedista-sofre-queda-de-4-mil-metros-e-ainda-funciona/
Você já imaginou algum objetocais de 4.000 metros de altura e continuar funcionando? Agora imagina algo frágil como um Iphone? Isto aconteceu quando Jarrod McKinney fez um salto de paraquedas e o seu celular caiu do bolso, e sem paraquedas.
O norte-americano não acreditou que estivesse funcionando. Aliás, só se deu conta da perda quando chegou ao solo. Por via das dúvidas, resolveu rastreá-lo por GPS. E para melhorar a história, o celular estava em ciam de um prédio. Mais absurdo ainda, fez uma ligação para o aparelho: funcionou.
Lógico, as funções estão um tanto comprometidas: o vidro do touchscreen quebrou, mas está funcionando, isso que importa.
Isso que eu chamo de milagre eletrônico.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Os reais motivos das explosões dos bueiros da Light no Rio

Com todo esse frio que vem fazendo no Rio de Janeiro, e com os últimos acontecimentos das nossas instalações elétricas, muitos vem comparando nossa cidade maravilhosa com a genérica capital argentina “Bueiros Aires”. Alguns dizem que se Paris é a cidade Luz, o Rio caminha para ser a Cidade sem luz. Se hoje a uma média de 20⁰C temos super aquecimento de transformadores que geram explosões, imaginem o que será de nossas ruas no verão com temperaturas de 40⁰C.
“Há algo de podre no reino da Dinamarca”, diria Sir William sobre as justificativas e desculpas dadas para as inúmeras explosões que vem ocorrendo nos bueiros da Light. Muitas hipóteses são levantadas para tentar justificar os acontecimentos. Vejamos algumas visões distintas:
- Engenheiros:
Na visão pragmática de engenheiros ouvimos as considerações da falta de manutenção adequada, o que é bem provável em empresas brasileiras, partindo do péssimo princípio da nossa cultura, que não valoriza devidamente as ações de manutenção. Outros alegam que por falha de projeto o sistema pode estar mal dimensionado e com o crescimento da demanda por energia as unidades estão entrando em colapso. Devem existir erros de projeto também, mas se fosse esse o principal motivo das explosões, estas aconteceriam mais no verão quando o resfriamento dos transformadores é mais difícil pela maior temperatura do ar. A demanda por energia durante o dia é maior no verão pelo o uso do ar condicionado, uma vez que pelo nosso clima não temos sistemas de calefação para o inverno. No inverno o pico energético é entre as 18hs e 20hs, pois é neste horário que a maioria da população toma banho aquecido por chuveiros elétricos. As explosões se intensificaram no inverno e vêem ocorrendo durante o horário comercial, contradizendo a hipótese de erro de projeto e sub dimensionamento do sistema.
- Gestores:
Na visão ampliada de gestores ouvimos que a atual crise energética do Rio é conseqüência da mudança de gestão que a Light passou e da tomada de decisão de aposentar ou demitir os profissionais mais antigos que detêm o conhecimento do sistema. Como não houve a preocupação em transmissão de conhecimento para os novos funcionários, os problemas estão surgindo e a empresa está perdida sobre como solucioná-los.
- Dirigentes Políticos
Na visão dos dirigentes políticos o problema pode ser uma combinação das razões apresentadas, ou não. O fato é que a culpa é da Light e ela tem que resolver, ou começar a pagar para não resolver. O prefeito já começou a cobrar R$100.000 por bueiro que explode. Imaginemos a cabeça de Paes: “Já que não sabemos como evitar, vamos aproveitar para faturar!!!”
- Leigos
Para os leigos é uma grande surpresa descobrir que a energia não surge direto da tomada ou do interruptor. Estão surpresos e assustados em saber que a energia elétrica é transmitida por cabeamento subterrâneo ou suspenso em postes. Para eles um transformador seria algum novo tipo de processador da Polishop que transforma legumes e frutas em deliciosos sucos que ninguém tem coragem de beber. Muitos estão inquietos e desconfiados. Alguns começam a questionar se o leite que bebem no café da manhã não vem direto da caixinha...
-CREA
Até o momento, o CREA ainda está investigando se realmente os bueiros da Light estão explodindo. De acordo com as informações do CREA a Light não possui registro em Engenharia de Minas e por isso os bueiros não possuem certificado para explodirem, pois não fizeram ART para esta função, não apresentaram os 37 documentos autenticados das 04 juntas municipais e não pagaram a taxa de R$277,15 por explosão. O CREA pretende abrir uma sindicância contra a Light por estar exercendo função não prevista em seu registro de acordo com a resolução 1010. A expectativa é que a sindicância conclua sua posição em pelo menos 3 anos.
- Parafusetas
Os Parafusetas não se deixam levar por qualquer desculpa esfarrapada ou papo torto. Após dedicada e aprofundada pesquisa chegamos ao real motivo das explosões dos bueiros da Light. Os engenheiros e os gestores estão tendo uma visão cartesiana e pragmática sem enxergar a verdadeira razão das explosões dos bueiros da light. Nosso amigo Shakespeare dizia que “há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe nossa vã filosofia”. Na verdade existem mais coisas de baixo da terra do que supomos. Após uma análise espectral através de receptores de força eletromotriz nos bueiros que explodiram concluímos que a causa das explosões nada mais é do que uma manifestação paranormal de Osama Bin Laden que acreditou que depois de morto teria o descanso eterno na terra prometida com 40 virgens. A terra prometida é a cidade maravilhosa, mas as 40 virgens é uma missão impossível aqui. Com a não realização de seu desejo e crença, Bin Laden junto com Saddan Husseim, o eterno inimigo número 1 das Américas e primo de Barack Obama, iniciaram atentados terroristas contra o sistema da Light. Pronto, estão explicadas as explosões. A única forma de impedi-las é contratar uma equipe de caça fantasmas para expurgar esses espíritos de nosso sistema elétrico. Existem equipes de caça fantasmas de renome internacional que por uma bagatela de R$50.000/mês podem fazer este serviço. Não há razão para se assombrarem com o custo e a proposta, pois a Prefeitura do Rio contrata por R$80.000/mês a Fundação Cacique Cobra Coral para controlar o clima de nossa cidade, impedir chuvas intensas no verão e principalmente que não chova no Ano Novo.
Você achou que todas as visões estão erradas? Comente você também no nosso blog qual é a sua visão do por que os bueiros da Light estão explodindo.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Não tem troco, mas que tristeza – Vergonha publicitária da Visa

Já faz um tempo que a rede de cartões de crédito Visa lançou uma nova linha de marketing onde a palavra chave em inglês é “GO”, que em uma tradução livre seria algo como “VAI”.

Até ai não teria problema nenhuma a campanha publicitária. Entretanto, a campanha deslancha em uma musiquinha cantada e tocada por um simpático trio musical estilo mexicano onde a mensagem central é que pagar sua conta em dinheiro é uma tristeza, pois lojista não tem troco. A propaganda é tão absurda que chega ao cúmulo de dizer que ou você leva o troco em balas ou vai ter que esperar um “século” para receber seu troco.

Não é de hoje que a cultura brasileira despreza as moedas, peças metálicas. É muito comum nas lojas brasileiras que os trocos nos centavos sejam ignorados. Essa cultura é péssima, pois a valorização da moeda passa não só pela parte econômica, mas também pela psicológica. Fazer valer o acordo firmado, preço do produto, nos centavos é uma obrigação civil.

A campanha publicitária da Visa é vergonhosa pois discrimina as pessoas que pagam em dinheiro e esperam receber seu devido troco. Gostaria de ver a repercussão da mesma propaganda nos EUA, onde os trocos são sempre dados nos centavos.

Sei que o tema não tem nada diretamente haver com engenharia, porém se queremos crescer como país e estado temos que nos opor a ações de multinacionais que vêem ao Brasil fazer campanhas publicitárias que não teriam coragem de fazer em seus países sede. Uma engenharia nacional forte se faz através de um país com identidade forte.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Piada de Engenheiro XII


CÉU E INFERNO


Dr. Schambaugh, da escola de Engenharia Química da Universidade de Oklahoma em sua prova final de curso de maio de 1997. Este doutor é reconhecido por fazer perguntas do tipo: "Por que os aviões voam?" em suas provas finais.

Sua única questão na prova final de maio de 1997 para sua turma de Transmissão de Momento, Massa e Calor II foi: "O inferno é  exotérmico ou endotérmico? Justifique sua resposta."

Vários alunos justificaram suas opiniões baseados na Lei de Boyle ou em alguma variante da mesma, um aluno, entretanto, escreveu o seguinte:
"Primeiramente, postulamos que se almas existem então elas devem ter alguma massa. Se elas têm, então um mol de almas também tem massa.
Então, a que taxa as almas estão se movendo para fora e a que taxa elas  estão se movendo para dentro do inferno? Eu acho que podemos assumir seguramente que uma vez que uma alma entra no inferno ela nunca mais sai. Por isso não há almas saindo.

Para as almas que entram no inferno, vamos dar uma olhada nas diferentes religiões que existem no mundo hoje em dia.
Algumas dessas religiões pregam que se você não pertencer a ela, você vai para o inferno. Como há mais de uma religião desse tipo e as pessoas não possuem duas religiões, podemos projetar que todas as pessoas e almas vão para o inferno. Com as taxas de natalidade e mortalidade do jeito
que estão, podemos esperar um crescimento exponencial das almas no inferno.

Agora vamos olhar a taxa de mudança de volume no inferno. A Lei de Boyle diz que para a temperatura e a pressão no inferno serem as mesmas, a relação entre a massa das almas e o volume do inferno deve ser constante. Existem então duas opções:
1) Se o inferno se expandir numa taxa menor do que a taxa com que as almas entram, então a temperatura e a pressão no inferno vão aumentar até ele explodir.
2) Se o inferno estiver se expandindo numa taxa maior do que a entrada de almas, então a temperatura e a pressão irão baixar até que o inferno se congele.

Então, qual das duas? Se nós aceitarmos o que Theresa Manyam me disse no primeiro ano: "que haverá uma noite fria no inferno antes de eu me deitar com você" e levando em conta que ainda NÃO obtive sucesso na tentativa de ter relações sexuais com ela, então a opção 2 não é verdadeira.
Por isso, o inferno é exotérmico."

O aluno Tim Graham tirou o único A na turma.

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Proibida a venda de aparelhos elétricos com plugue antigo.


O que todos já estavam sentindo na pele ao comprar plugues para as suas residências agora já é oficial. O Inmetro começa a fiscalizar a partir de amanhã o novo padrão das tomadas, como se pode conferir no link acima.
 O Inmetro, órgão responsável pela padronização, acertou quando decidiu criar um modelo de tomadas para o Brasil. O que impressiona é criar um modelo que não seja compatível com praticamente nenhum outro lugar do mundo. Sabe aquela história do porque facilitar se podemos dificultar...
Por que não foi mantido o modelo que tinha maior compatibilidade? Aquele de três pinos que aceita o modelo americano também. Qual o problema de seguir um padrão americano? O melhor, qual o problema de se adequar a um padrão americano também?
A partir de hoje teremos que viajar pelo mundo com adaptadores e os turistas que vierem ao Brasil terão que arrumar adaptadores também. Esta aí um mercado em ascensão, adaptadores de tomada. Tanto é que é vendido por camelos em qualquer esquina do centro do Rio.
O pior são as desculpas do Inmetro para justificar o novo tipo da tomada. "O índice de acidentes, principalmente choques elétricos e incêndios, era muito alto". Primeiro que a questão de incêndios tem haver com a qualidade dos materiais das tomadas e não com o padrão dos pinos. Agora, o pior de tudo é dizer que vai diminuir os choques elétricos. Como assim? Só uma pessoa com dedos de elefante não conseguiria enfiar um dedo na tomada desse novo modelo.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Botafogo, time literalmente sem luz.


Que o Botafogo é um time sem expressão, sem patrocínio e sem títulos todos já estão carecas de saber. A novidade é saber que o clube mais chorão do futebol brasileiro não tem dinheiro para pagar um técnico responsável pela Engenharia Elétrica de seu estádio alugado.

Não existe coisa mais chata do que você ir a um estádio de futebol no domingo à noite com seus amigos e familiares e no meio da partida a luz acabar. Está certo que para torcida do time de General Severiano, que sempre protagoniza um belo mosaico azul nas arquibancadas do Engenhão, não ir aos jogos de seu clube é algo normal, mas deixar de pagar um Engenheiro Eletricista é demais.

Depois de três quedas de luz em três meses no estádio municipal de atletismo, parece que as autoridades decidiram tomar uma atitude. A prefeitura já colocou as asinhas de fora querendo respostas e cobrando providências de seu locatário e o CREA-RJ já avisou que se não aparecer um responsável técnico vai cobrar uma multa no estrondoso valor de R$ 4.240,00, que por incrível que pareça é menos do que o piso salarial estabelecido pela própria entidade para um Engenheiro. Então já que é mais vantajoso pagar a multa podemos nos preparar para as apostas. Quando será o próximo apagão?

sábado, 25 de junho de 2011

Rapidinha de engenheiro XI.

Gozando da vida eterna, os Grandes Cientistas resolveram brincar de esconde-esconde. Gauss, Newton, Galileu, Pascal, Lavoisier, Einstein... todos foram brincar. Pois bem que chegou a vez do Euler procurar os outros. Enquanto ele ficava com a cara virada e contava, Newton ficou bem atrás dele, desenhou um quadrado no chão e ficou em cima. Pois Euler terminou de contar:
"Achei o NEWTON!"
"Mas eu não sou o NEWTON! Eu sou o PASCAL!"
"Mentira! Você é o NEWTON, eu te conheço!"
"Não! Sou o PASCAL, pois veja: um NEWTON por METRO QUADRADO!"

quinta-feira, 23 de junho de 2011

ART virtual: bom ou ruim?

http://www.crea-rj.org.br/
Cada vez mais o papel vai perdendo seu lugar na sociedade, vai ficando mais caro, vai ficando menos responsável (quanto mais papel você consome, mais árvores está derrubando), entre outros problemas. Então, cada vez mais os processos que envolvem o papel estão sendo transferidos para um banco de dados, preenchido via internet pelos usuários para que a troca de informações seja mais rápida e tenha um custo menor (porque diminui o número de funcionários que recebiam estes papéis, custo com papel, entre outros). Mas, vejamos o caso da ART virtual, será que esse processo é confiável? Pergunto, será que ele é transparente? Será que dá resultado? Mais transparente eu desconfio porque o papel é mais fácil de ser auditado, já o envio de dados para o CREA é mais fácil de burlar, fazendo com que as contas do CREA (que precisa prestar contas para o TCU) fiquem em suspeita. Mais confiável tabém duvido. Até pouco tempo atrás o site do CREA ficou fora do por muito tempo. E aí, o que acontece nesse caso? O usuário ficará uma semana sem fazer ART? Se dá resultado, eu não sei, está tudo às escuras pois não teve nem divulgação de que isso iria ocorrer.

terça-feira, 21 de junho de 2011

Apagão do metrô ou do governo estadual?


O metrô do Rio de Janeiro é um grande exemplo de algo que funcionava com qualidade e excelência, mas que por interferência de políticos que só pensam no próximo mandato hoje funciona de maneira precária.

A última grande obra ferroviária do estado liga diretamente as linhas 1 e 2 do sistema, infelizmente essa obra deveria ser chamada de “puxadinho”. A interligação foi feita sem nenhum planejamento prévio do governo, que ignorou, por motivos eleitorais, o fato de que o aumento do número de passageiros sem a compra de novas composições resultaria naquilo que todos sentem ao embarcar, trens absurdamente lotados.

Hoje a novidade ruim é a falta de energia. As causas podem ser inúmeras, mas para um sistema que funciona no gargalo não seria demais imaginar que um problema de abastecimento da Light somado a falta de investimentos no setor elétrico, que seriam necessários após a construção do "puxadinho", possam gerar o caos que estamos vendo.

Vergonha de um governo que trata o transporte com demagogia !!!

Engenharia para controle da inflação.

Depois do aumento dos preços dos combustíveis no último verão o governo decidiu investir em tecnologia de armazenamento de álcool para controlar o seu preço na época da entressafra.

Aquilo que sempre foi óbvio para os Engenheiros, pelo menos já passa pela cabeça dos homens de Brasília. Agora só esperamos que o mesmo raciocínio seja utilizado para as commodities em geral, de forma que consigamos controlar os preços dos produtos tanto no mercado externo como no interno.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Rapidinha de engenheiro X.

Um desabamento ocorre numa mina de carvão. Os dois últimos a sairem
são o engenheiro e um mineiro. O engenheiro parece não ter sofrido
nada, mas o mineiro está com a cabeça toda achatada e o queixo com um
enorme hematoma. O engenheiro explica:

- Sou eternamente grato a este homem que conseguiu impedir que a
galeria onde estávamos desabasse totalmente segurando a viga do teto
com a cabeça!

O médico pergunta então:

- Isso explica por que a cabeça está achatada, mas ao que corresponde
este hematoma debaixo do queixo?

O engenheiro responde:

- Ah! Aí foi onde eu coloquei o macaco hidráulico!

quinta-feira, 16 de junho de 2011

E tome sol!

http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,fda-bane-uso-dos-termos-bloqueador-solar-e-a-prova-dagua-em-protetores--,732703,0.htm
Após termos sido enganados durante anos, as frases descritas nos protetores solares como "à prova d´água" e "bloqueador solar" serão retiradas, banidas. Ou seja, nós usuários, por todos estes anos, fomos enganados! Fomos levados a acreditar que estaríamos protegidos dos efeitos do sol, que estaríamos livres das manchas e até do câncer de pele com este belo produto químico. Agora você deve estar se perguntando o por quê deste texto em um blog de engenharia, não é? Aqui vai: Este recado é para todos, usuários de protetor solar ou não; A função do engenheiro é encontrar uma solução para os problemas e aqui temos um problema (os protetores solares não são eficientes como pensávamos); e o principal, acho digno ter um químico responsável pela composição química dos protetores (e tudo que envolva manipulação química), mas em caso de processos químicos, o ideal não seria um engenheiro químico responsável? Leiam atentamente o rótulo do seu próximo protetor solar!

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Rapidinha de engenheiro IX

Jesus disse a seus apóstolos:
- Irmãos, y = ax²+bx+c...
Os apóstolos, confusos, indagam:
- Mas senhor... o que é isso?
Jesus disse:
- Apenas uma parábola.

domingo, 5 de junho de 2011

Dia mundial do meio ambiente - 05/06

Gostaríamos de lembrá-los do dia de hoje, dia mundial do meio ambiente, para que tenhamos uma vida mais sustentável, lembrando que o desenvolvimento da civilização anda em paralelo com a preservação da fauna e flora no planeta. Abaixo segue a foto da construção final (projeto futuro) da usina hidroelétrica de Belo Monte, no coração da Amazônia. Penso que esta obra deveria ter sido estudada melhor do ponto de vista do impacto ambiental. Do que adianta ter compensação do que já foi derrubado se esse mesmo lugar era uma importante ecossitema natural? Vamos ficar de olho porque o papel do engenheiro é fundamental nesta discussão.

sábado, 4 de junho de 2011

Segurança e meio ambiente juntos

Chegará o dia, não tão longe assim, em que as empresas não mais terão um técnico de segurança e um técnico para o meio ambiente, e sim um técnico para segurança e meio ambiente. Por quê esta transformação? Porque essa análise é conjunta e não são independentes. Considero mais uma variável que irá se somar nesse time, mas que agrupá-la não é tão fácil, que é a qualidade. Um dia teremos técnico em qualidade, segurança e meio ambiente. Mas essa tríplice união é mais pra frente, por enquanto o mais viável é unificar segurança e meio ambiente. Percebo que as escolas técnicas e as universidades (porque segue o mesmo raciocínio para o engenheiro de meio ambiente e o engenheiro de segurança) não estão se preparando para tal transformação. Além do tema estar se unificando, é um custo menor para as empresas e uma diminuição da burocracia (em caso de auditorias).

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Jeito de engenheiro.

Grandes Obras da Engenharia I

Projeto de Extensão da pista do Aeroporto da Ilha da Madeira Funchal

- Aumento da pista de pouso de 1.600m para 2.780m
- 180 pilares construidos sobre um aterro
- Duração da obra de 9 anos
- Custo de 530 milhões de Euros

Projeto premiado em 2004 pela "International Association for Bridge and Structural Engineering"

Observem na 2ª e na 3ª foto que, não bastasse o cálculo de Engenharia para suportar os pousos na cabeceira, foi também preservado o traçado original da rodovia que circundava o aeroporto (que hoje passa sob a pista).






quarta-feira, 1 de junho de 2011

Rapidinha de Engenheiro VIII

Praticidade de Engenheiro
Um padre, um médico e um engenheiro estão jogando golfe. Na frente deles um grupo que há mais de meia hora não sai do lugar.
Passa um empregado do clube e os três perguntam o que está acontecendo com o grupo. O sujeito explica:
- Estas pessoas são cegas. Perderam a vista ao tentar salvar a sede social do clube no ano passado, que estava em chamas. Desde então nós deixamos eles jogarem de graça.
Os três se mantêm em silêncio até que o padre diz:
- Muito triste. Vou rezar por eles na próxima missa.
O médico acrescenta:
- Boa idéia! E eu vou conversar com um colega oftalmologista para ver se ele pode fazer algo.
E o engenheiro:
- Por que é que eles não jogam à noite?

terça-feira, 31 de maio de 2011

Quão importante é a experiêcia na engenharia?

Quanto vale a experiência de um engenheiro? Você acha que a experiência é fator importante pra carreira? Somos jovens é sabemos o quanto desejamos (nós engenheiros novatos da geração y) que os passos sejam os mais rápidos possíveis: absorção de conhecimento, subidas de cargos, mandos e desmandos, mas o tempo joga à nosso favor. Com ele conseguimos maturidade pra tomar decisões, com ele podemos ver situações se repetirem e quando o mesmo problema se repetir, a solução será mais fácil. Vejamos o exemplo do avião da Air France que caiu no Atlântico em 2009 do trecho Rio-Paris: No momento de maior perigo da trajetória do avião o piloto não estava na cabine de comando e o co-piloto tomou a decisão errada que foi de subir o nariz do avião ao invés de descê-lo. Tomou a decisão errada, talvez, porque nunca tivesse passado por tal situação, nunca tenha simulado tal situação nos estudos, talvez faltasse experiência. Será que o piloto resolveria a situação?

A Força da Água

Muitas vezes subestimamos as forças da natureza.
Existe um ditado de sabedoria popular que diz que água ladeira abaixo, fogo morro acima e mulher queredo... ninguém segura.
Segue vídeo ilustrativo da força da água em estuturas subdimensionadas.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Engenharia de Manutenção

A competitividade dos mercados fez com que os gestores das plantas industriais refletissem sobre a diminuição das paradas das máquinas para continuar aumentando a produção. Neste instante, a manutenção dentro dos processos industriais toma grande importância, pois os industriais, pensando nos lucros e nas perdas, passaram a fazer a seguinte pergunta: como encontrar o ponto ótimo entre manutenção e produção?

Por definição, a Engenharia de Manutenção aplica seus conceitos para otimizar os equipamentos, os processos e os orçamentos, de modo a alcançar uma melhor manutenibilidade, confiabilidade e disponibilidade dos ativos. E gerir ativos nada mais é que gerir a planta.

Um Engenheiro que se especializa em manutenção busca interpretar os diferentes índices das máquinas e dos processos, tornando-os mais eficientes e consequentemente mais lucrativos. Estudar a saúde de um sistema a partir das premissas da manutenção é uma boa alternativa para os Engenheiros que procuram conciliar os conceitos técnicos e os de gestão. Pense nisso!!!

terça-feira, 24 de maio de 2011

Como um engenheiro gostaria de ser tratado.

Rapidinha de Engenheiro VII

O que foi que um vetor disse pro outro?
- Um momento, por favor!

O que é um menino complexo?
- É o que tem a mãe real e o pai imaginário.

O Engenheiro e a Teologia:
- Deus é real, a não ser que seja declarado inteiro.

O que é um urso polar?
- É um urso retangular, depois de uma conversão de coordenadas.


Como se desmaia um vetor?
- Apaga a pontinha que ele perde o sentido.

domingo, 22 de maio de 2011

Essa vai para os engenheiros eletrônicos.

http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,china-clona-do-msn-ao-google-e-lidera-web,not_68060,0.htm
Qual é o negócio da China?? Ctrl C e Ctrl V?? Cada vez isso fica mais claro! As empresas chinesas estão copiando tudo deliberadamente e acham que estão certos, não respeitando direitos autorais e leis internacionais. Isso é correto? Não tem como fazer mais barato produtos de qualquer setor da economia do que a China. Assim, se ela continuar nos copiando, ela terá poder de barganha maior e muitos compram achando que fizeram um "negoção". Isso tira empregos em muitos países, por exemplo o Brasil. Então antes de comprar produtos chineses pense macro, pense se aquela cópia está trazendo benefício pra você, pro seu país e pra empresa que trabalha. Aqui vai outra reflexão: como acabar com isso?

sábado, 21 de maio de 2011

Case de solução criativa (fábrica de pasta de dente) por Mario Sérgio Cortella

Existem várias formas de resolver um problema. A questão é encontrar a mais eficaz. O excelente filósofo Mario Sérgio Cortella apresenta de forma bem humorada essa questão.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Trator Show

Olha o que os caras treinam nas horas livres das obras...


Rapidinha de Engenheiro VI

Quando um engenheiro deve usar brinco?

Um dia, numa empresa de engenharia, um engenheiro reparou que o seu colega estava usando um brinco.
— Não sabia que você gostava desse tipo de coisa - comentou.
— Não é nada de especial, é só um brinco - replicou o colega.
— Há quanto tempo você o usa?
— Desde que a minha mulher o encontrou, no meu carro, na semana passada.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

REENGENHARIA

Toda vez que um produto não alcança o resultado esperado, rapidamente alguém sugere que é necessário se fazer uma reengenharia. Segue uma historinha para ilustrar esse fato... 

REENGENHARIA
Duas pulgas estavam conversando e então uma comentou com a outra:
- Sabe qual é o nosso problema? Nós não voamos, só sabemos saltar.
Daí nossa chance de sobrevivência quando somos percebidas pelo cachorro é zero. É por isso que existem muito mais moscas do que pulgas.
Elas então contrataram uma mosca como consultora, entraram num programa de reengenharia de vôo e saíram voando.
Passado algum tempo, a primeira pulga falou para a outra:
- Quer saber? Voar não é o suficiente, porque ficamos grudadas ao corpo do cachorro e nosso tempo de reação é bem menor do que a velocidade da coçada dele.
Temos de aprender a fazer como as abelhas, que sugam o néctar e levantam vôo rapidamente.
Elas então contrataram o serviço de consultoria de uma abelha, que lhes ensinou a técnica do chega-suga-voa. Funcionou, mas não resolveu.. . A primeira pulga explicou porquê:
- Nossa bolsa para armazenar sangue é pequena, por isso temos de ficar muito tempo sugando. Escapar, a gente até escapa, mas não estamos nos alimentando direito. Temos de aprender como os pernilongos fazem para se alimentar com aquela rapidez.
E então um pernilongo lhes prestou uma consultoria para incrementar o tamanho do abdômen. Resolvido, mas por poucos minutos.
... Como tinham ficado maiores, a aproximação delas era facilmente percebida pelo cachorro, e elas eram espantadas antes mesmo de pousar.
Foi aí que encontraram uma saltitante pulguinha, que lhes perguntou:
- Ué, vocês estão enormes! Fizeram plástica
s?
- Não, reengenharia. Agora somos pulgas adaptadas aos desafios do século XXI. Voamos, picamos e podemos armazenar mais alimento.
- E por que é que estão com cara de famintas?
- Isso é temporário. Já estamos fazendo consultoria com um morcego, que vai nos ensinar a técnica do radar. E você?
- Ah, eu vou bem, obrigada. Forte e sadia.
Mas as pulgonas não quiseram dar a pata a torcer, e perguntaram à pulguinha: - Mas você não está preocupada com o futuro? Não pensou em uma reengenharia?
- Quem disse que não? Contratei uma lesma como consultora.
- Mas o que as lesmas têm a ver com pulgas. quiseram saber as pulgonas...
- Tudo. Eu tinha o mesmo problema que vocês duas. Mas, em vez de dizer para a lesma o que eu queria, deixei que ela avaliasse a situação e me sugerisse a melhor solução.
 E ela passou três dias ali, quietinha, só observando o cachorro e então ela me disse:
"Não mude nada
! Apenas sente na nuca do cachorro. É o único lugar que a pata dele não alcança".

MORAL DA HISTÓRIA: 
Você não precisa de uma reengenharia radical para ser mais eficiente. Muitas vezes, a GRANDE MUDANÇA é uma simples questão de reposicionamento. Pense nisso!!!

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Por quê avião tem dois pilotos?

Vocês já pararam pra pensar a razão na qual o avião tem dois pilotos? Parece óbvio mas é porque o avião tem dois controles. Isso mesmo, por segurança, todo avião tem dois controles. E para ter maior segurança ainda, cada controle tem um piloto. No mundo, tudo que tem risco de dar errado tem dois como proteção: Piloto de avião, torcida do botafogo (dois torcedores), seios (imagine um só?), choppinho (nunca é apenas um), tatuagem (isso eu ainda suspeito que seja lenda), freios, lapiseiras no estojo, mulher feia te dando mole (jamais tem uma apenas. Repare), entre outras coisas. Pare pra pensar: mas mesmo com dois pilotos, por quê ninguém evita a queda do avião?

terça-feira, 17 de maio de 2011

Rapidinha de engenheiro V

Meu Filho, era uma vez três porquinhos ( P1, P2 e P3) e um Lobo Mau, por definição, LM, que vivia os atormentando.
P1 era sabido e fazia Engenharia Elétrica e já era formado em Engenharia Civil.
P2 era arquiteto e vivia em fúteis devaneios estéticos absolutamente desprovidos de cálculos rigorosos.
P3 fazia Comunicação e Expressão Visual na ECA.
LM, na Escala Oficial da ABNT, para medição da Maldade (EOMM) era Mau nível 8,75 (arredondando a partir da 3ª casa decimal para cima). LM também era um mega investidor imobiliário sem escrúpulos e cobiçava a propriedade que pertencia aos Pn (onde n é um número natural e varia entre 1 e 3), visto que o terreno era de boa conformidade geológica e configuração topográfica, localizado próximo a Granja Viana.
Mas nesse promissor perímetro, P1 construiu uma casa de tijolos, sensata e logicamente planejada, toda protegida e com mecanismos automáticos.
P2 montou uma casa de blocos articulados feitos de mogno que mais parecia um castelo lego tresloucado.
Enquanto P3 planejou no Autocad e montou, ele mesmo, com barbantes e isopor como fundamentos, uma cabana de palha com teto solar, e achava aquilo “o máximo“.
Um dia, LM foi ate a propriedade dos suínos e disse, encontrando P3:
— Uahahhahaha, corra, P3, porque vou gritar, e vou gritar e chamar o Conselho de Engenharia Civil para denunciar sua casa de palha projetada por um ormando em Comunicação e Expressão Visual!
Ao que P3 correu para sua amada cabana, mas quando chegou lá os fiscais do conselho já haviam posto tudo abaixo. Então P3 correu para a casa de P2.
Mas quando chegou lá, encontrou LM à porta, batendo com força e gritando:
— Abra essa porta, P2, ou vou gritar, gritar e gritar e chamar o Greenpeace, para denunciar que você usou madeira nobre de áreas não-reflorestadas e areia de praia para misturar no cimento.
Antes que P2 alcançasse a porta, esta foi posta a baixo por uma multidão insandecida de eco-chatos que invadiram o ambiente, vandalizaram tudo e ocuparam os destroços, pixando e entoando palavras de ordem.
Ao que segue P3 e P2 correm para a casa de P1. Quando chegaram na casa de P1, este os recebe, e os dois caem ofegantes na sala de entrada.
P1: — O que houve?
P2: — LM, lobo mau por definição, nível 8.75, destruiu nossas casas e desapropriou os terrenos.
P3: — Não temos para onde ir. E agora, que eu farei? Sou apenas um formando em Comunicação e Expressão Visual!
Tum-tum-tum-tum-tuuummm!!!! (— isto é somente uma simulação de batidas à porta, meu filho! o som correto não é esse.)
LM: — P1, abra essa porta e assine este contrato de transferência de posse de imóvel, ou eu vou gritar e gritar e chamar os fiscais do Conselho de Engenharia em cima de você, e, se for preciso, até aquele tal de Confea!
Como P1 não abria (apesar da insistência covarde do porco arquiteto e a… do… comunicador e expressivo visual?), LM chamou os fiscais, e estes fizeram testes de robustez do projeto, inspeções sanitárias, projeções geomorfológicas, exames de agentes físico-estressores, cálculos com muitas integrais, matrizes, e geometria analítica avançada, e nada acharam de errado. Então LM gritou e gritou pela segunda vez, e veio o Greenpeace, mas todo o projeto e implementação da casa de P1 eram ecologicamente corretos.
Cansado e esbaforido, o vilão lupino resolveu agir de forma irracional porém super-comum nos contos de fada: Ele pessoalmente escalou a casa de P1 pela parede, subiu ate a chaminé e resolveu entrar por esta, para invadir.
Mas quando ele pulou para dentro da chaminé, um dispositivo mecatrônico instalado por P1 captou sua presença por um sensor térmico e ativou uma catapulta que impulsionou — com uma força de 33300 N (Newtons) — LM para cima.
Este subiu aos céus, numa trajetória parabólica estreita, alcançando o ápice, onde sua velocidade chegou a zero, a 200 metros do chão.
Agora, meu filho, antes que você pegue num repousar gostoso e o Papai te cubra com este edredom macio e quente, admitindo que a gravidade vale 9,8m/s2 e que um lobo adulto médio pese 60 kg, calcule:
  1. o deslocamento no eixo “x”, tomando como referencial a chaminé;
  2. a velocidade de queda de LM quando este tocou o chão e;
  3. o susto que o Lobo Mau tomou, num gráfico lógico que varia do 0 (repouso) ao 9 (ataque histérico).

segunda-feira, 16 de maio de 2011

O Trem-Bala brasileiro

Para distâncias de até 650 km um trem com 300 km/h de velocidade média consegue ser mais rápido que um avião, já que o tempo de espera em uma sala de embarque de um aeroporto costuma ser de no mínimo 50 minutos. Caso tivéssemos um trem de alta velocidade (TAV) ligando as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, gastaríamos cerca de 1 hora e 30 minutos na viagem.

A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) remarcou para o próximo dia 11 de julho a licitação do Trem-Bala que ligaria as cidades de Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro. O projeto é caro e ousado, e especula-se que o custo total dos 6 anos de obra seja algo em torno dos 50 bilhões de reais. Ninguém duvida que seria interessante termos uma alternativa para a ponte aérea mais procurada do Brasil. Mas será que na atual conjuntura, essa seria a real necessidade dos dois grandes centros envolvidos?

Veremos qual será o próximo capítulo desta novela. Infelizmente, só temos a certeza de que não teremos as obras concluídas para as Olimpíadas.

Você sabe o que é uma ART?

Os profissionais que pertencem ao CREA, quando executam serviços de engenharia, arquitetura, agronomia, ficam sujeitos à Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), de acordo com a Lei nº 6.496/77. Esse documento traz informações úteis para o profissional e auxilia a verificação do efetivo exercício profissional e da execução das atividades técnicas.
Para o profissional, o registro é importante porque garante os direitos autorais; comprova a existência de um contrato, principalmente em caso de contratação verbal; garante o direito à remuneração, pois pode ser usado como comprovante de prestação de serviço; define o limite das responsabilidades, respondendo o profissional apenas pelas atividades técnicas que executou; e pode ser usado para dar entrada na aposentadoria. Ainda sobre os benefícios da ART, vale destacar que esse documento indica para a sociedade os responsáveis técnicos pela execução de obras ou prestação de quaisquer serviços profissionais referentes à área tecnológica, assim com as características do serviço contratado.
Para o consumidor, a ART serve como um instrumento de defesa, pois formaliza o compromisso do profissional com a qualidade dos serviços prestados. Em casos de sinistros, identifica individualmente os responsáveis, auxiliando na confrontação das responsabilidades junto ao Poder Público. Isso explica porque em serviços que envolvem trabalho em equipe (multidisciplinares ou da mesma modalidade) cada profissional deve registrar individualmente a ART, como responsável, coautor ou corresponsável, em sua área de atuação. Fonte Site CONFEA

Como funciona o mercado financeiro

Não é de hoje que muitos engenheiros no ímpeto de aumentar suas rendas se aventuram no mercado financeiro, quase sempre na ilusão de achar que pode existir ganhos sem a produção. Segue uma historinha para ilustrar essa ilusão.

O mercado de ações

Estava-se no Outono e os Índios de uma reserva americana perguntaram ao novo Chefe se o Inverno iria ser muito rigoroso ou se, pelo contrário, poderia ser mais suave. Tratando-se de um Chefe Índio, más da era moderna, ele não conseguia interpretar os sinais que lhe permitissem prever o tempo, no entanto, para não correr muitos riscos, foi dizendo que sim senhor, deveriam estar preparados e cortar a lenha suficiente para aguentar um Inverno frio.
Mas como também era um líder prático e preocupado, alguns dias depois teve uma ideia. Dirigiu-se à cabine telefônica pública, ligou para o Serviço Meteorológico Nacional e perguntou: 'O próximo Inverno vai ser frio?' -'Parece que na realidade este Inverno vai ser mesmo frio' respondeu o meteorologista de serviço.
O Chefe voltou para o seu povo e mandou que cortassem mais lenha. Uma semana mais tarde, voltou a falar para o Serviço Meteorológico: 'Vai ser um Inverno muito frio?' 'Sim,' responderam novamente do outro lado, 'O Inverno vai ser mesmo muito frio'.
Mais uma vez o Chefe voltou para o seu povo e mandou que apanhassem toda a lenha que pudessem sem desperdiçar sequer as pequenas cavacas. Duas semanas mais tarde voltou a falar para o Serviço Meteorológico Nacional: 'Vocês têm a certeza que este Inverno vai ser mesmo muito frio?' 'Absolutamente' respondeu o homem 'Vai ser um dos Invernos mais frios de sempre.'
'Como podem ter tanto a certeza?' perguntou o Chefe. O meteorologista respondeu 'Os Índios estão a aprovisionar lenha que parecem uns doidos.
É assim que funciona o mercado de ações.

domingo, 15 de maio de 2011

Sobre a engenharia química.

Alguns acham que é uma engenharia que só trabalha com elementos químicos, outros acham até que não é engenharia, mas na verdade tem um papel importante na área de fluidos (bombas, ventiladores, tubulações, tratamento de efluentes, entre outros). Os principais mercados do engenheiro químico são as áreas de petróleo, farmacêutica, petroquímica, entre outras. Suas principais atribuições são planejamento, qualidade, meio ambiente, projetos em geral (básico, detalhado, executivo), mostrando a sua versatilidade. Outra atribuição do engenheiro químico, e marcante, é o trabalho em segurança de processos, que analisa, procurando minimizar os tipos de falhas que ocorrem em plantas fabris, processos produtivos, além de verificar e assegurar o cumprimento das leis vigentes na fábrica.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Engenharia, Copa do Mundo e Olimpíadas.

Não é novidade pra ninguém que o momento vivido pelo Estado do Rio de Janeiro é único. Em 2014 sediaremos a final da Copa do Mundo e em 2016 a capital fluminense será o centro das atenções ao realizar os jogos olímpicos. E, no meio deste mar de oportunidades, surge um questionamento: como a Engenharia deve se posicionar?

É inquestionável que nossa cidade necessita um rápido choque de infra-estrutura para atender toda a demanda provocada por estas atividades esportivas, mas nada pode justificar a falta de comprometimento com as leis e com o bom senso.

A Transcarioca é um ótimo exemplo de como a incompetência do CREA-RJ, somada à ganância dos políticos, resulta numa obra esquizofrênica. Implementada por um prefeito que nasceu politicamente das causas ambientais, o projeto consiste em unir a Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional Tom Jobim por um corredor de ônibus. Sim, isso mesmo, em pleno século XXI, com os atuais problemas ocasionados pela péssima utilização dos recursos naturais, a cidade está construindo 39 km de vias para a circulação de um ônibus articulado movido a combustível fóssil. Parece brincadeira deixar o metrô de lado, mas não é, é tão real que custa 1 bilhão de reais, pelo menos até o momento.

Para os moradores de Jacarepaguá, Madureira, Penha, Ilha do Fundão e Ilha do Governador que um dia sonharam em poder transitar entre a Barra da Tijuca, o Aeroporto Internacional e o Centro da cidade através do metrô, agora terão que se contentar em pagar mais uma passagem para continuar andando de ônibus. Aliás, o trecho da obra em Madureira é um caso a parte. O único viaduto do projeto será construído por cima da estação de trem do bairro, que futuramente será colocada no subsolo. Em alguns anos teremos um viaduto que passará por cima do nada.

O mais impressionante é a passividade com que o CREA-RJ assiste a isso tudo. Não vemos nenhuma vontade daqueles que administram o conselho em se posicionar defendendo a Engenharia. Parece que estão felizes em saber que o faturamento está aumentando pelo aumento da quantidade de ART que estão sendo feitas.

Siga os Parafusetas no Twitter!!!

twitter.com/parafusetas

Sigam-nos os bons!!!

Rapidinha de engenheiro IV

Três estudantes de engenharia estão discutindo sobre quem criou o corpo humano. O primeiro diz:
- Para mim, foi um engenheiro mecânico. Olhe só todas estas articulações!
O segundo responde:
- Pois eu acho que é um engenheiro eletricista. Olha como o sistema nervoso tem milhões e milhões de conexões elétricas!
O terceiro retruca:
- Eu acho que foi um engenheiro civil. Quem mais poderia ter pensado em fazer o esgoto no meio de um lugar feito para a diversão?

Maravilhas da China.

Olha que aeroporto maravilhoso! Imaginem o projeto que foi feito para que chegasse a este resultado de alto nível. Aqui no Brasil a infraestrutura está longe de ter uma arquitetura fantástica, nem temos infraestrutura básica, imagine de alta qualidade. Este aeroporto é um dos maiores o mundo e foi feito para que lembrasse a figura de um dragão, muito tradicional na cultura chinesa. A única coisa que os brasileiros fizeram semehante a este projeto foi colocar um "dragão" na presidência da república.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

História do bati-begue.

Se você pensou que morreria sem saber a história do bati-begue e o nome do seu inventor, está muito enganado. É uma história triste, mas de um engenheiro feliz. Klaus Sigmund Bag foi um menino muito pobrer que durante sua infância não tinha dinheiro, nem brinquedo, nem amigos. Mas Klaus sempre foi bom com númeors e teve muita facilidade com eles o resto da vida. Na escola, sofria bulling e não saia com nenhum brotinho, até que ele entrou para o curso de engenharia civil e sua vida mudou. Klaus gostava muito de dinâmica dos corpos rígidos e teve a idéia de a partir de um ponto fixo, rodar uma bola presa por uma corda, onde a massa da bola era muito maior que a da corda. Depois teve a idéia final, e de mestre: Se fizer uma simetria disto, ou seja, se ao invés de uma bola e uma corda, tivermos duas bolas cada uma interligada por uma corda. Eureka!!! Como toda grande invenção, Klaus não sabia o que fazer com aquilo: jogar nos outros, rodar loucamente, fazer de marimba. Até que durante suas idas para faculdade, passou por uma criança de rua que lhe pediu o bati-begue (até então não tinha esse nome). Ele achou sem fundamento, mas entregou ao garoto. Inesperadamente, o garoto começou a bater as bolas e segurar os cabos no ponto fixo inicial. Surgiu então o bati-begue. Mas somente 20 anos mais tarde a sociedade brasileira de física deu o sobrenome de Klaus para a invenção: Bati-Bag, que virou mais tarde bati-begue.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Siga os Parafusetas no Facebook!!!

http://www.facebook.com/home.php?sfrm=1#!/profile.php?id=100002270451923

Faça parte deste time!!!

Rapidinha de engenheiro III

O Engenheiro Químico é um indivíduo da pior espécie. Rejeitado pelos engenheiros, que dizem que eles não sabem nada de engenharia; e pelos químicos, que dizem que eles sabem tanto de química como de engenharia. Ou seja, eles não são nada. Mesmo com tudo isso, eles são indivíduos de um poderoso intelecto. Uma prova disso é que engenheiros químicos são os únicos seres humanos a controlar a HP 48GX, comumente sua melhor amiga. Infelizmente esse intelecto superior é diminuído exponencialmente (lógico que eles sabem fazer esse gráfico com a calculadora) no decorrer da faculdade, e quando formado engenheiro químico só sabe falar de vazão, processos de transferência, balanço de massa, pressão e deu pau na minha P.

Você sabe o que é o CREA?

Você, estudante de engenharia, ou você profissional de engenharia, deve saber ou pelo menos deveria saber o que o CREA faz. Não sinta-se ofendido, estamos aqui para ajudá-lo. Não sinta-se ignorante pois o CREA tinha um programa chamado "CREA Estudante" que aproximava os estudantes do sistema, mas resolveu acabar com ele inadvertidamente. Você, profissional, também não se sinta ignorante, ele não faz nada para aproximá-lo e agradá-lo, apenas cobra. E cobra caro. O papel do CREA é fiscalizar, orientação e aprimorar o profissional, instituídos com a finalidade de defender a sociedade da prática do exercício ilegal das profissões. O Conselho Regional de Engenharia (CREA) pertence aos engenheiros, arquitetos, agrônomos, entre outros.